RUA

Estava com muita vontade de sair na rua… SIMPLESMENTE SAIR mas eu não podia simplesmente sair e adivinha o porque. Eu estava passando mal?? NÃO. Eu estava esperando por alguém?? Também NÃO… Eu estava usando uma roupa que eu gostava muito. Curta e “chamativa”. Tinha acabado de me maquiar também… Tons avermelhados e vibrantes. Estava me sentindo simplesmente perfeita, feliz, me amando.
Estava pronta para ir a casa da minha amiga.
Andava apressada em direção a porta de minha casa ao mesmo tempo que digitava. Digitava e andava, digitava e andava, até que me desequilibrei e o celular foi direto ao chão. Agachei-me e fui pega-lo, quando me deparo comigo… Meu próprio reflexo na tela riscada do celular. “Você não concorda comigo que essa maquiagem pode ser um pouquinho vulgar?” – disse minha consciência. “Vulgar??” – pensei comigo mesma. “Isso mesmo que você escutou. As pessoas vão ficar olhando pra você. Vão te julgar… Oh meu Deus, olhe para suas roupas. Muito oferecida não acha?! O que você acha que as pessoas vão achar de você na rua? – meu reflexo disse com desgosto.
Comecei a escutar o que ele dizia… Será que seria melhor se eu tirasse a maquiagem? Poderia trocar de roupa também. Poderia jogar minha felicidade fora naquele momento em troca de chegar “segura” na casa de minha amiga e isso me incomodava muito.
Terei que me desfazer de algo que gosto muito por conta de um homem, por conta do medo, fazendo parecer que a culpa é minha. Me sinto errada por me vestir de tal jeito e andar maquiada na rua, mas porque?? Porque estou errada? O machismo me prendia sempre. Voltava de cabeça baixa para meu quarto e me tornava mais “descente”, menos vulgar… Só que dessa vez foi diferente.
Enfiei meu celular no bolso, peguei as chaves e sai de casa.
Toquei meus pés não rua e me senti diferente, me senti inteira, me senti vitoriosa.

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *