Siga o padrão

Muito magra. Muito gorda. Enrola o cabelo. Faz progressiva. Tá com pouco maquiagem. Meu deus tá com mais camada que parede! Esconde essa gordurinha. Cobre essa costela. Pinta a unha. Virou gótica agora? Isso aí é roupa de freia! Com esse shorts só pode estar pedindo. Não vai andar rebolando né? Tira o capuz. Esconde suas imperfeições. Vai segue tudo isso. Dá um jeito, se vira. Se desdobre, se machuque, mas fique dentro dos padrões, até porque, é a sociedade que tem que te aprovar.

Já ouvi muita gente falar que é muito difícil se aceitar, aceitar as imperfeições, e ver beleza naquilo que antes víamos como defeito, mas posso te dizer algo que é mais difícil? Seguir todos essas ordens que nos dizem para seguir. Elas se contradizem, não fazem sentido e vão em busca do irreal, vão em busca do sobrenatural.

Não to falando para você engordar, deixar o cabelo secar naturalmente, parar de passar maquiagem e deixar seus pelos crescerem. To falando para você fazer aquilo que você se sente confortável. Se você quer alisar o cabelo, alisa. Se você quer ganhar uns quilos, ganhe. Mas não faça isso porque todo mundo fala que é bonito, e que só assim você será aceita, porque isso é mentira. Você pode deixar de ser aceita em alguns grupos sociais, que prezam mais pela aparência do que por aquilo que você é, mas então, eles valem a pena?

Vai ser difícil você dividir aquilo que você quer daquilo que o resto quer, mas eu juro que vale a pena. Como já dizia Alexandra Gurgel (que tem um instaram muito bacana que fala sobre o assunto tratado no texto – alexandrinos – e fundadora do Movimento Corpo Livre):

“Corpo perfeito é o que você tem para viver agora”

Não deixe de fazer algo por algum “defeito” estético, não se prive de viver por conta disso. Lute contra seus próprios conceitos, e se deixe ser quem você quer ser.

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *