Um caso de aborto masculino

Ao invés de explicar o que é um aborto masculino, eu vou contar uma história (tem um final feliz, acredite!), assim, acho que pode ficar mais fácil de entender:

No começo do ano, um casal tinha acabado de terminar. Eles não eram noivos, muito menos casados, mas já tinham anos de relacionamento, então certamente já tinham um carinho um pelo outro, mas por motivos de personalidade, acabaram se separando, e foi com certeza a melhor coisa para os dois.

Após um mês do término, a mulher descobriu que estava grávida, e só podia ser de seu ex-namorado. Claro que na hora decidiu que ia contar para ele, até porque, era o pai da criança. Ela não pretendia voltar, nem nada. Estava muito bem fora daquele relacionamento, mas, ele era o pai e precisava saber que tinha um filho chegando.

Marcou um almoço, e contou a notícia, mas, logo foi bombardeada de perguntas como: mas você quer mesmo ter esse filho? Está preparada para criar uma criança? –Na hora ela disse que sim, que aquele era o maior sonho dela, e que não iria desistir da criança, mas já começou a estranhar tais questionamentos, mas não demorou muito para descobrir toda a verdade, já que logo ele disse que não queria assumir aquele filho.

Foi um choque, um balde de água fria. Saiu do restaurante logo em seguida e desabou quando chegou em casa.

Isso não durou um dia, já que ela sempre foi uma mulher muito forte, que nunca desistia de nada, sempre sendo muito guerreira, acabou decidindo que ia sustentar e criar aquela criança sozinha, e que não precisaria da ajuda de ninguém.

Dito e feito, durante toda a gravidez ela nem lembrou mais da existência dele, mas quando a menina nasceu, voltou a pensar no assunto, e percebeu que talvez sua filha gostaria dos cuidados paternos. Ela já havia decidido que só aceitaria dinheiro dele, se fosse por amor a criança, não queria ficar brigando por isso na justiça.

Marcou um almoço, e disse do nascimento da menina. E mais uma vez obteve a resposta não esperada. Ele disse que não tinha mudado de ideia, que preferiria continuar assim. E mais uma vez, um balde de água fria. Chegou em casa se sentindo arrasada.

Levantou no dia seguinte com o choro da bebê, e percebeu que, chorar não ia levá-la a lugar nenhum. Chegou a conclusão que ia dar a melhor vida possível para aquela menina, e que elas iam ter a melhor relação entre uma mãe e uma filha.

Passaram-se anos desde o nascimento, e elas viveram uma vida saudável e feliz, mas claro que houve dias onde a menina perguntou do pai, mas nunca com medo da resposta ou algo do tipo, mais por curiosidade, e sua mãe sempre respondeu tranquilamente, o que fez com que a ausência dele nunca fosse algo trágico ou relevante. Teve um dia onde, já mais velha, disse que queria conhecê-lo. Sua mãe foi atrás de telefone, Facebook e e-mail, e conseguiu facilmente, e foi falar com ela, mas quando mostrou tudo, a menina pediu um tempo para repensar no assunto, e dias depois, voltou a mãe e disse que estava bem, e que não queria correr o risco de seu pai querer fazer parte de sua vida.

Acabaram sempre sendo melhores amigas, e falando sobre todos os assunto abertamente, e sobre ele não foi diferente, o que sempre causou choque nas pessoas ao redor, mas logo começaram a perceber que, entre não ter um pai e viver uma vida feliz ou ter um pai, e receber pensões de mau gosto, presentes e recepções sem amor, ela com certeza preferiria continuar como estava, suprindo o amor paterno, com o amor de tios e primos, que sempre foram como pais e irmãos, do pai de sua melhor amiga, que sempre fora uma figura paterna, e até mesmo de sua madrinha que sempre fora sua segunda mãe.

Mas o amor que supria a falta de qualquer um, era o amor de sua mãe. Sua maior companheira e conselheira. Sua melhor amiga, o seu maior amor.

E esse caso, aconteceu comigo, e decidi escrever essa história -sem alterações- para mostrar a superação de um aborto masculino. Como as mulheres são fortes e guerreiras. Mas é claro que isso acontece todos os dias e essa covardia, acaba prejudicando milhares de mulheres em todo o mundo, e até mesmo, muitas crianças que precisavam daquela pensão para ter uma escola melhor, um plano de saúde bom, ou mesmo, alguém para chamar de pai.

 

 

There are 4 comments for this article
  1. Claudia 08/03/2019 21:46

    Linda sua história. E parabéns para sua mãe. Guerreira!

    • Hermione 15/03/2019 16:56

      aaa muito obrigada! 🙂 de verdade
      sempre que quiser entre em contato conosco 😉

      (minha mãe é incrível, aliás todas elas são)

  2. Claudia Mazanati 28/03/2019 14:59

    História Linda e muito motivadora. Nós mulheres, somos muito fortes e guerreiras e não podemos nos abater por situações onde outras pessoas não compartilham com os nossos sentimentos e sonhos! Sua mãe com TODA certeza tem muito orgulho da decisão dela e agradece a Deus todos os dias por ter você como uma grande amiga!

  3. shop Design cosmetic 30/03/2019 01:12

    Aw, this was an incredibly good post. Taking a few minutes
    and actual effort to generate a very good article… but what can I say… I procrastinate a
    lot and don’t seem to get nearly anything done. https://www.interior.my/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *