Micromachismo

A objetificação do corpo feminino em publicidades, a falta de apoio quando uma mulher avança no mercado de trabalho, tarefas domésticas ainda serem direcionadas às meninas, frases como “aja como uma dama” ou “está revoltada porque está naqueles dias”, ou mesmo piadas cotidianas, são atitudes que passam despercebidas, mas que mesmo assim, são apenas mais uma forma do homem trazer o sentimento de superioridade para seu sexo.

O psicoterapeuta espanhol, Luis Bonino Mendez, já usava o termo ‘micromachismo’ desde 1991, mas outros sociólogos os chamam de “neomachismo”, ou como é mais conhecido, “o machismo do cotidiano”, porém, independente de seu nome, o conceito é o mesmo: pequenos atos machistas, que estão em nosso cotidiano, mas muitas vezes passam despercebidos, principalmente por já fazerem parte de nossas rotinas.

Bonino dividiu o micromachismo em 4 tipos diferentes:

micromachismos utilitários – onde um forte exemplo é quando as tarefas domésticas são diretamente relacionadas à mulheres;

micromachismos disfarçados – onde muitas vezes se usam do abuso de confiança, onde acabam confundindo as mulheres, trazendo um sentimento de culpa, ou seja, este tipo é baseado no controle emocional;

micromachismos de crises – que ocorre quando a mulher aumenta seu poder em sua vida profissional e o homem se torna mais controlador),

micromachismos coercitivos – aquele onde o homem usa de seu poder, seja ele físico, financeiro ou pessoal, fazendo a mulher aceitar sua linha de pensamento.

Todos esses exemplos, estão fortemente presentes, ainda hoje, na rotina de milhares de mulheres, e o nome, para algumas especialistas, como Catalina Ruiz-Navarro e Laura Aguirre, diminui o impacto destes atos, os tratando como pequenos, como inofensivos, quando na realidade, são eles que ainda trazem o sentimento de controle e poder para muitos homens, sustentando o machismo em nossa sociedade.

E não só sustentado por homens, como também por muitas mulheres, que já acostumadas com a inferioridade de seu próprio sexo, são as que muitas vezes praticam e perpetuam estes atos, ridicularizando ou diminuindo outras mulheres ao seu redor, dando cada vez mais forças ao machismo.

Infelizmente esses atos estão ainda muito presente em nosso dia a dia, e muitas vezes passando batido por já fazerem parte de nossas vida há muitos anos e que por muitos, são considerados normais, mas que ainda hoje, limitam nossa liberdade, limitando nossas ideias e vontades.

 

fontes:

O que é o “micromachismo”?

Você conhece estes 4 tipos de micromachismo?

 

 

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *